Palestra pela Cruz Vermelha sobre o Voluntariado

por novo diretor
147 visualizações

No dia 18 de janeiro, no auditório da Paróquia de Cristo Rei da Portela, vários alunos da nossa escola assistiram a uma palestra organizada pelos professores da disciplina de Filosofia sobre a importância do voluntariado.

Paulo Mota, educador social da Cruz Vermelha e orador convidado para esta palestra, falou-nos primeiro dessa instituição com 160 anos que já ganhou por três vezes o prémio Nobel e está espalhada em 190 países. A Cruz Vermelha tem como objetivo principal dar assistência humanitária e social, em especial às populações mais vulneráveis. Ajudam famílias separadas a reunirem-se, cuidam de feridos e ajudam na obtenção de serviços funerários para os defuntos tenham funerais dignos.
Só em Portugal, a Cruz Vermelha tem 14 mil voluntários no terreno, dispostos a tornar o mundo um lugar melhor.

Depois de termos ficado a saber um pouco mais sobre a Cruz Vermelha e mais especificamente sobre a Cruz Vermelha Portuguesa, seguiu-se tópico principal desta palestra: o voluntariado e a sua importância. Foi aqui que, excedendo até as expetativas do orador, vários alunos da nossa escola revelaram que eram voluntários ou já tinham sido. Alguns deles partilharam as suas experiências.


Paulo Mota alertou-nos para que nem todas as pessoas têm os privilégios que nós temos sendo necessário agir. Referiu ainda que o voluntariado não tem que ser algo muito complicado ou que exija muito do nosso tempo: meia hora de plogging (apanhar lixo em corrida), ou mesmo visitar e conversar com um familiar mais afastado, por exemplo, podem ser considerados como importantes atos de voluntariado. Paulo Mota lembrou também que os designers e os divulgadores são fundamentais nesta área, pois são eles quem mostra ao mundo os benefícios do voluntariado, tanto para quem é ajudado com para quem ajuda.

Alguns (dos inúmeros) benefícios do voluntariado

De seguida, duas voluntárias da Cruz Vermelha Portuguesa, Cátia Sousa e Rabia Feryal, falaram-nos das suas experiências como voluntárias.


A Cátia falou-nos da experiência que teve ao voluntariar-se num centro de dia e referiu que agora está a começar a voluntariar na área das escolas e da comunicação. Encorajou-nos a aderir a atividades de voluntariado e afirmou que todos somos capazes de fazer algo para ajudar os outros e que nunca devemos de desistir.


Já a Rabia, uma jovem curda que está em Portugal há poucos anos, começou a voluntariar na Cruz Vermelha desde o último ano do secundário e agora está encarregada do projeto Young Birds United, um projeto que promove a inclusão no desporto.

******************

Gostarias de fazer voluntariado na nossa escola ou na Cruz Vermelha, mas não sabes por onde começar?
Fala com os teus professores de Filosofia e sobre as iniciativas da Escola+Humana. e descobre como podes participar em debates, atividades de voluntariado, eventos da nossa escola, e muito mais!!
Se ficaste com interesse em voluntariar na Cruz Vermelha, podes aceder a mais informações a partir deste código QR:

Equipa JS? presente no evento
Leonor d’Almeida, Inês Santos e Maria Esteves

Related Posts

Deixa um Comentário

Este site usa cookies para melhorar a tua experiência. Esperamos que não tenhas problema com isso, podes sempre fazer opt-out. Aceitar Ler mais

Privacidade & Política de Cookies